É tempo de relaxar!

Através da harmonia com a natureza o Centro de Vida Saudável promove um estilo de vida que trata e previne diversas doenças.

Posts Recentes

facebook instagram youtube

novembro 2019

A diabetes acontece porque o pâncreas não é capaz de produzir insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não é capaz de agir de maneira adequada (resistência à insulina).   Existem alguns questionamentos sobre a diabetes. Muitas pessoas possuem diversas dúvidas a respeito do que se trata a doença, como ela surge, se tem cura, como prevenir, enfim, a lista é longa. Por isso, separamos algumas das principais perguntas sobre esse assunto.   Mas, primeiro precisamos entender o que é diabetes?   O que é diabetes? Diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo.   A insulina é um hormônio que tem a função de quebrar as moléculas de glicose(açúcar) transformando-a em energia para manutenção das células do nosso organismo.   O diabetes pode causar o aumento da glicemia e as altas taxas podem levar a complicações no coração, nas artérias, nos olhos, nos rins e nos nervos. Em casos mais graves, o diabetes pode levar à morte.   De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem atualmente, no Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença, o que representa 6,9% da população nacional.   Agora sim, vamos as perguntas:   1) Existem restrições à prática de exercícios para pessoas com diabetes? Não há restrições, desde que o diabetes esteja controlado. A atividade física libera catecolaminas que são hiperglicemiantes, de modo que se tiver com glicemia elevada, a tendência é aumentar mais ainda.   2) Como devo fazer para receber os medicamentos grátis, pelo SUS, como insulina e fitas. A lei federal de n° 11.347 (assinada em 27 de setembro de 2006 pelo Presidente da República) está em vigor e determina que os pacientes com diabetes recebam, gratuitamente, do Sistema Único de Saúde - SUS, os medicamentos necessários para o tratamento, assim como os materiais exigidos para a sua aplicação e a monitoração da glicemia capilar. O texto da lei afirma que, para ter este direito, é preciso estar inscrito em algum programa de educação especial em diabetes.   Na prática, a pessoa precisa ir ao posto de saúde mais próximo de sua residência, e cadastrar-se como paciente com diabetes do SUS ou do Sistema de Informação em Hipertensão e Diabetes (Hiperdia). No mesmo local, deve-se pedir pelos medicamentos necessários ao tratamento, prescritos pelo médico responsável em uma receita que será ali apresentada.   Caso não seja plenamente atendido, paciente deverá relatar o caso à ouvidoria

Se você consome castanhas, provavelmente está fazendo uma escolha saudável. Sim, elas são muito saudáveis e importantes para uma dieta equilibrada e natural. Se você eliminou alimentos gordurosos, alimentos de origem animal, ou outra restrição é importante complementar os nutrientes com outras fontes. Em quantidades adequadas, essas oleaginosas favorecem a saciedade, contribuem para a saúde mental e cardiovascular, ajudam no controle da glicemia e colesterol, dentre outros benefícios.   No Brasil, temos uma grande variedade de castanhas disponíveis no mercado, existem as nativas como a de caju e do Pará (hoje mais conhecida como castanha do Brasil). Mas, como devemos consumir? E qual a maneira correta de armazená-la, preservando seu estado natural o maior tempo possível? É o que veremos a seguir. Continue a leitura!   A melhor maneira de consumir Para garantir os nutrientes e evitar contaminações, procure as castanhas in natura. Com casca. Assim você evita que elas estejam contaminadas. Por exemplo o pistache é alvo de fungos que enquanto decompõe os alimentos produzem micotoxinas, e a aflatoxina (que também é encontrada no milho e em nozes, além das castanhas). Os fungos alteram a aparência das castanhas sendo fáceis de identificar.   A aflatoxina, após ingestão é absorvida no intestino e transportada ao fígado, onde é metabolizada. A sua toxicidade pode assumir a forma aguda ou crônica. Algumas advertências Impacto agudo: a ingestão de elevadas doses de aflatoxinas num curto espaço de tempo pode causar uma intoxicação alimentar aguda, tais casos são raros nas sociedades desenvolvidas.   Alguns dos sintomas clínicos são: febre, vômitos e icterícia, pode causar também uma lesão hepática aguda que nos casos mais graves, pode ser fatal.   Impactos crônicos: como os alimentos podem estar contaminados com doses ínfimas de aflatoxinas, o seu consumo, a longo prazo, aumenta o risco e pode levar ao carcinoma hepatocelular e consequentemente a morte.   Além desses problemas, está comprovada a sua relação com a incidência da hepatite B e do "kwashiorkor". Todos estes problemas, obviamente, dependem da quantidade e frequência da ingestão de produtos com aflatoxinas e da idade da pessoa.   A Organização Mundial da Saúde  (OMS) em pesquisas concluiu que, a aflatoxina pode desenvolver câncer primário no fígado do homem. Isto, evidentemente, não significa que ingerindo aflatoxina, a pessoa fatalmente contrairá câncer, mas sim, aumentar o risco e dependendo da permanência em ingerir alimentos contaminados, a longo prazo, pode desenvolver a doença.   Procure prestar atenção quando for ingerir, porque mesmo as castanhas sendo vendidas dentro do limite não tóxico, a armazenagem enquanto ela estiver na sua casa pode

Diabetes é uma doença crônica , a qual atera o metabolismo levando a uma hiperglicemia por deficiência da secreção da insulina pelo pâncreas ou pela dificuldade da ação da insulina que é a resistência insulínica , a qual atinge outros órgãos e tecidos do corpo humano.   A epidemia de diabetes mellitus (DM) é alarmante. Atualmente, estima-se que a população mundial com diabetes é da ordem de 425 milhões de pessoas , no Brasil 6.2% da população tem Diabetes Melitus. Principalmente o Diabetes Melitus tipo 2 (DM2) , o qual é o tipo  mais prevalente em tornos de 95% dos indivíduos  diabéticos,  poder ser prevenido e controlado através de mudanças de estilo de vida.   Diabetes tipo 2 - Características gerais A  maioria das pessoas que desenvolve o diabetes tipo 2, por exemplo, está acima do peso ou é obesa.  Comprovando  que educação alimentar e a qualidade de vida das pessoas está diretamente ligada ao desenvolvimento da doença.   A prevenção  de forma mais efetiva acontece quando se dá   mais atenção à saúde de forma integral.   A prevenção primária vai evitar que indivíduos suscetíveis desenvolvam diabetes, tendo impacto por reduzir ou retardar tanto a necessidade de atenção à saúde como a de tratar as complicações da doença.   As intervenções  para o paciente com Diabetes tipo 2, condição na qual a maioria dos indivíduos também apresenta obesidade, hipertensão arterial e dislipidemia, a abordagem também  deve abranger esses outros  problemas metabólicos,  o que, além de prevenir o surgimento de diabetes, estaria também evitando doenças cardiovasculares e reduzindo a mortalidade .   Diabetes e estilo de vida saudável Há muitas  evidências de que alterações no estilo de vida,  e na redução da atividade física, associam-se a acentuado aumento  na prevalência de DM2. Os programas de prevenção primária do DM2 baseiam- se em intervenções na dieta e na prática de atividades físicas, visando a combater o excesso de peso em indivíduos com maior risco de desenvolver diabetes.   É importante lembrar que, como toda doença, o diabetes se não controlado, pode trazer diversas complicações. O não controle da doença pode acarretar em complicações cardiovasculares, neuropatia diabética (dores contínuas, formigamento e falta de sensibilidade nos membros inferiores), nefropatia (exaustão renal e danificação dos néfrons) e retinopatia (edema na retina que pode levar a perda total ou parcial da visão). Uma ótima notícia, é que mantendo a doença sob controle e o estilo de vida saudável, alguns pacientes não necessitarão da utilização de medicamentos.   Mudança nos hábitos e estilo de

Para aqueles que ainda não sabem, novembro é o mês de combate o câncer de próstata. E, em todo o país se vê ações com o propósito de conscientizar as pessoas a realizar os exames de rotina, como forma de prevenção.   No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos e considerando ambos os sexos, é o segundo tipo mais comum. A taxa de incidência é maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.   Mas o que é a próstata?   A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso). A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.   Nesse artigo fizemos diferente, separamos as dúvidas mais comuns que surgem quando o câncer de próstata é abordado, e você pode conferir a seguir cada uma delas.   Vamos lá?   1 - O que causa o câncer de próstata? A causa exata da maioria dos cânceres de próstata não é conhecida, mas já se sabe que vários fatores de risco tornam uma pessoa mais predisposta a desenvolver a doença (link do post sobre os sintomas)   2 - Possuo histórico familiar de câncer de próstata, corro o risco de desenvolver a doença?. Sim, as chances são muito maiores de desenvolver a doença. Nesses casos o rastreamento deve começar mais cedo.   3 - O câncer de próstata pode ser prevenido? Não,mas a melhor recomendação é manter uma dieta saudável e uma rotina de exercícios físicos, para a obtenção de uma vida saudável, e eventualmente reduzir o risco de câncer de próstata e outras doenças.   4 - Homens jovens podem ter câncer de próstata? O câncer de próstata é muito raro em homens com menos de 40, mas a chance de ter a doença aumenta rapidamente após os 50 anos. Aproximadamente 70% dos cânceres de próstata são diagnosticados em homens com mais de 65 anos.   5 - Com que idade recomenda-se iniciar exames de prevenção do câncer de próstata? Atualmente se recomenda que os homens iniciem a realizar exames de prevenção do câncer de próstata a partir dos 50. Além disso,