É tempo de relaxar!

Através da harmonia com a natureza o Centro de Vida Saudável promove um estilo de vida que trata e previne diversas doenças.

Posts Recentes

facebook instagram youtube

julho 2022

O excesso de peso corporal vem se tornando um problema cada vez maior na vida dos brasileiros.    Um em cada quatro adultos do País estava obeso em 2019, segundo dados do segundo volume da Pesquisa Nacional de Saúde, publicado em outubro de 2020 e realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde.    O estudo traz ainda outros dados alarmantes: cerca de 61% dos brasileiros passaram a ter sobrepeso e a prevalência está no grupo de 40 a 59 anos, atingindo por volta de 70,3%.   Mas, afinal, por que essas condições oferecem riscos à saúde? O sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para o desenvolvimento de outros transtornos, como hipertensão, doenças cardiovasculares e diabetes. E agora temos mais um alerta, já que a obesidade é uma comorbidade importante para agravamento da COVID-19.    A boa notícia é que, com a mudança de estilo de vida, incluindo uma alimentação saudável, prática de exercícios físicos e, quando necessário, acompanhamento profissional, é possível atingir um peso corporal saudável. Ou seja, significa emagrecer e ainda com saúde.    Para isso, confira 7 principais dicas para reduzir o peso corporal e proteger a sua saúde.   1- Atenção com as dietas mirabolantes  Bom, então vamos começar com uma dieta super milagrosa, correto? Nada disso! As dietas muito restritivas podem até surtir efeito temporariamente, mas as chances de você voltar a engordar tudo de novo são altas.    Além disso, normalmente são dietas não saudáveis e você ainda pode pode emagrecer devido a perda de músculos e água, e não de gordura. Portanto, o primeiro passo é manter os seus exames em dia, e caso precise,conversar com o seu médico para definir a dieta mais apropriada.    2 - Emagreça sem pressa   O emagrecimento deve ser um processo gradativo. Quando é feito de forma brusca, além da tendência maior de voltar ao peso anterior, é um dos fatores que provocam o conhecido efeito sanfona, que é a oscilação de peso corporal, causando muito mais frustração e perda de autoestima. E o problema vai além do impacto emocional. Tanto o efeito sanfona quanto o emagrecimento rápido podem oferecer riscos à saúde.    No entanto, quando você emagrece lentamente, é como se você estivesse preparando o seu organismo. E quando isso ocorre por meio da mudança de alimentação e realizando exercícios físicos, ocorre uma perda de gordura e ganho de massa muscular. Dessa forma, o corpo não entra em estado de alerta como ocorre no emagrecimento

Parecia que estava tudo bem até finalmente conferir os resultados dos exames laboratoriais e seu médico dar o veredicto: o colesterol está alto e você precisa reduzir. Chega a ser misteriosa essa história, afinal, o colesterol alto não apresenta nenhum sintoma.   Mas, realmente não há como fugir do problema. O colesterol alto é uma das principais causas das doenças cardíacas, sendo um potente fator de risco para infarto e Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC). O colesterol em excesso pode contribuir para o desenvolvimento da aterosclerose, causada pela formação de placas de gorduras nas artérias, os chamados ateromas, dificultando a passagem de sangue nos vasos. Portanto, ao ser diagnosticado com a disfunção, é necessário agir para atingir o nível saudável desse componente da nossa saúde.    O colesterol é um tipo de gordura presente em diversas das nossas células e é vital para a formação de hormônios, como a vitamina D, a ácidos biliares e outros compostos. Para percorrer pelo organismo, precisa estar associado a proteínas, formando assim assim uma lipoproteína. O LDL, conhecido como “colesterol ruim”, é a lipoproteína que leva o colesterol do fígado até as células. Ou seja: ele é importante também. Mas, quando está em excesso, ele pode ficar “preso” nas artérias, bloqueando a passagem de sangue. Já o HDL, o “colesterol bom”, é a lipoproteína que atua na limpeza dos vasos, levando o colesterol em excesso presente nas artérias de volta para o fígado.    É por isso que, para baixar o colesterol “ruim”, você precisa aumentar o colesterol “bom”, além de adotar outras medidas. Confira as principais recomendações:   Pratique atividade física   A prática de exercícios físicos é fundamental para a saúde como um todo, e ela ajuda a reduzir o colesterol porque contribui para o controle dos triglicérides e no aumento dos níveis de HDL.    Evite as gorduras saturadas e as trans   As gorduras saturadas estão presentes especialmente em alimentos de origem animal, como carnes, embutidos, queijos. Já a gordura trans é obtida a partir de óleos vegetais por meio do processo hidrogenação, a famosa gordura hidrogenada, e está presente nos alimentos industrializados, como biscoitos, empanados, margarina, sorvetes cremosos e nos fast-food.    Invista nos principais alimentos que ajudam a reduzir o colesterol     Cereais integrais: aveia e outros grãos inteiros como do trigo, centeio, cevada, arroz e milho, são ricos em fibras solúveis que melhoram o fluxo intestinal e ajudam na redução da absorção de gorduras.   Azeite: é um alimento rico em antioxidantes e ajuda a aumentar