É tempo de relaxar!

Através da harmonia com a natureza o Centro de Vida Saudável promove um estilo de vida que trata e previne diversas doenças.

Posts Recentes

facebook instagram youtube

vida saudável Tag

Má postura, inflamação ou mesmo hérnia de disco. As causas variam, mas trazem como consequência a famosa lombalgia, ou dor nas costas, que prejudica as atividades do dia-a-dia e a qualidade de vida.   Neste texto você vai saber: O que é lombalgia Como surge Quais as causas Quais os sintomas Os principais tratamentos Quais são os tratamentos oferecidos pelo CEVISA Vamos lá!   O que é lombalgia? A lombalgia pode ser definida como uma dor na região lombar. A dor pode se estender para a região das nádegas, face posterior das coxas mas não muito além do joelho, sem comprometer um trajeto de nervo específico.   Um por cento dos pacientes com lombalgia aguda tem ciática, que é definida como dor irradiada para o território de uma raiz nervosa lombar, frequentemente acompanhada de sintomas como dificuldade para andar e formigamento. É um problema muito prevalente e pode ser causa de incapacidade.   Mais de 90% da população mundial sofre episódio de dor lombar em algum momento da vida e a lombalgia é a segunda causa mais frequente de procura pelos serviços médicos.   Como surge? As lombalgias podem ser classificadas quanto a duração em agudas e crônicas. As lombalgias agudas não estão relacionadas a nenhum fator definido e geralmente ocorrem após um esforço físico excessivo levando o paciente a sentir uma sensação de “travar a coluna”.   A dor crônica ocorre em qualquer idade e em aproximadamente 75-85% dos pacientes que se afastam do trabalho ela se torna recorrente   Quais as causas? Os principais fatores que podem desencadear a lombalgia são, contrações musculares, ocasionadas por sobrecarga excessiva, ao levantar mais peso do que a pessoa consegue na academia, por exemplo, ao carregar muito peso, empurrando armários, enfim, atividades corriqueiras que causem sobrecarga nas articulações da coluna e das vértebras.   Na maioria das vezes, o problema é postural, ou seja, causado por uma má posição para sentar, deitar, abaixar ou carregar algum objeto pesado. Nas demais vezes, a lombalgia pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco, escorregamento de vértebra, artrose (processo degenerativo de uma articulação) e até problemas emocionais.   Quais os sintomas? Os sintomas da lombalgia são dores localizadas abaixo da décima segunda costela até a prega do glúteo, definida como a região lombar. As dores podem, ainda, irradiar para o meio da coxa.   Quais os principais tratamentos? Os principais tratamentos para a lombalgia aguda são por analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides e relaxantes musculares. O objetivo central desses tratamentos são: aliviar a dor, melhorar a habilidade funcional e prevenir recorrência e cronicidade. Existem

Todo mundo tem a necessidade de tocar e ser tocado. Estudos mostram que os abraços têm o poder de reduzir os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea, além de diminuir o risco de doenças cardíacas. Isso ocorre, pois a pele possui uma rede de centros de pressão que ficam em contato com o cérebro por meio de nervos conectados a vários órgãos, inclusive o coração.  Neste artigo você vai aprender sobre: O abraço e as reações do nosso organismo Emoções e o toque O abraço e as reações do nosso organismo Você acha que esse toque teria o poder de afetar a região cerebral ativada frente à ameaça, produzindo conforto e fazendo a atividade cerebral cair? A resposta, testada cientificamente por neurocientistas e psicólogos da Universidade de Wisconsin e Virgínia, é sim.   O estudo demonstrou que o contato físico com uma pessoa de confiança atua positivamente sobre os neurônios em situação de ame­aça, levando o cérebro e o corpo a relaxar. Isso ocorre especialmente quando o toque vem de uma pessoa querida, já que o efeito não foi o mesmo quando a pes­soa que segurava a mão era um estranho.   Os abraços ainda diminuem os níveis de cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Altos níveis deste hormônio podem prejudicar a saúde, por isso esta queda na produção dele é importante. Emoções e o toque Que o toque tem o poder de despertar reações físicas e emocionais, sabe-se há muito tempo. Pelo menos ele vem sendo usado há milênios para tentar promover a cura, às vezes sob o nome de imposição de mãos. Antigos relatos de curas pelo toque são encontrados nas culturas egípcia, grega, japonesa, chinesa e indiana. No início do século 14, a realeza europeia até mesmo adotou a imposição de mãos como um "direito divino" inerente aos poderes do rei. Era o "toque real". Se é verdade que depois o toque caiu em certo descrédito no Ocidente, devido ao abuso e à separação entre mente e corpo no pensamento filosófico, é também um fato que ele tem sido revalorizado, Várias pessoas têm tentado atribuir credibilidade científica ao poder curador do toque. Obtendo a cura Porém, se o Toque Terapêutico atual não tem conseguido credibilidade como veículo de cura real, há um tipo de toque que é totalmente confiável. É o toque de Deus em nossa vida. Os evangelhos relatam que Jesus tocou inúmeras pessoas, e elas foram curadas. Enquanto os médicos do 1° século evitavam tocar os doentes, Jesus

Criado em 1990, o movimento conhecido como Outubro Rosa tem como principal objetivo estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.   Nesse artigo você vai encontrar: Câncer de mama e os cuidados necessários Como reduzir os riscos Os principais sintomas Como surge o câncer de mama Como se prevenir Vamos a leitura do texto? Câncer de mama e os cuidados necessários O câncer de mama é tipo o mais comum entre as mulheres, e no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos registrados anualmente, são cerca de 57mil novos casos, segundo pesquisa realizada pelo Inca para o biênio.   A recomendação do Ministério da Saúde é a realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres entre 50 e 69 anos, ou antes disso caso haja histórico familiar de câncer de mama ou a indicação do profissional de saúde. Somente o exame de mamografia pode mudar a curva da doença. Uma das barreiras para a detecção precoce do câncer de mama é o medo. Muitas mulheres têm receio do exame e demoram a procurar orientação médica para realização da mamografia. Como reduzir os riscos Pesquisas científicas mostram que o desenvolvimento de até 13 tipos tumores está relacionado a comportamento. Com a adoção de medidas simples é possível reduzir a incidência do câncer de mama. O autoexame é uma maneira importante da mulher conhecer o próprio corpo e perceber possíveis alterações. Faça acompanhamento regular com um especialista, que irá avaliar clinicamente e fazer as prescrições de acordo com o seu perfil e necessidades.   Para cada mulher os sinais de câncer de mama pode variar. Em alguns casos podem não apresentar nenhum deles. De qualquer maneira é muito importante que a mulher conheça seu corpo, sua mama, e saiba reconhecer alterações para alertar o médico. Para as mulheres que ainda menstrua, a melhor época para se auto avaliar é alguns dias após a menstruação, pois as mamas estarão menos inchadas. Para as que já estão na menopausa, o autoexame pode ser feito em qualquer época do mês. Qualquer alteração deve ser comunicada imediatamente ao médico, mesmo que você já tenha realizado a mamografia